sexta-feira, 15 de junho de 2012

O PACIFICADOR




É lamentável que Njal O Pacificador encontre sua noiva vestida com calças, exibindo uma espada, e coberta com sangue javali.


O que ele precisa é de uma mulher hábil com as palavras, uma mulher com modos refinados, uma mulher inteligente e capaz de manobrar as intrigas políticas da corte de um rei.
Não uma mocinha que caça e cuja habilidade com armas rivaliza com a de qualquer guerreiro.
Bettina quer um homem que possa frustrar os planos de seus inimigos.
Um guerreiro Viking que atice a ira dos Deuses contra os homens que querem roubar sua herança.
Não um homem que valoriza as palavras e a paz acima de tudo. Nem Njal nem Bettina esperavam a paixão que explode entre eles.
O que vai prevalecer, palavras ou ações?
Pode um pacificador domar uma noiva guerreira?

Nenhum comentário:

Postar um comentário